Estudar faz bem para a mente

O cérebro, como toda parte do corpo, precisa ser exercitado para se manter sempre ativo e afiado. Uma das melhores maneiras de manter o cérebro ativo é estudar. Aprender algo novo traz muitos benefícios ao órgão.

Quanto mais usar o intelecto, melhor, porque mantém o cérebro ativo. Cérebros menos utilizados não têm a mesma agilidade. A sua desenvoltura cai. Portanto, estude, leia e use a criatividade.

Pesquisadores brasileiros descobriram que que quem estuda tem muito mais chance de não apresentar os sintomas de Alzheimer mesmo tendo as lesões no cérebro que caracterizam a doença.

Um dos principais sintomas do Alzheimer é a perda progressiva de memória causada por acúmulo de proteínas em partes do cérebro. A doença atinge mais os idosos e não tem cura. Um grupo de pesquisadores da Universidade de São Paulo comprovou que existe um meio mais eficaz do que qualquer remédio para prevenir a doença.

Eles analisaram amostras de cérebros de três mil pessoas que morreram na Grande São Paulo na última década e chegaram a uma conclusão importante: quem estuda mais tem menos chances de desenvolver sintomas de doenças como o Alzheimer.

Além disso, um indivíduo que frequentou o ensino superior possui menos chances de adquirir de forma precoce o mal de Alzheimer ou outra doença neurodegenerativa do que o indivíduo que concluiu apenas o ciclo básico de educação. Aumentar o nível de escolarização pode ser eficiente para prevenir casos de demência. Especialistas destacam: manter o cérebro constantemente ativo e estimulado pode retardar e até inibir a manifestação da doença.

Apesar de o mal de Alzheimer afetar pessoas de diferentes classes sociais, a baixa escolaridade é um dos fatores de risco para o surgimento de demências após os 60 anos.

Segundo a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, isto ocorre porque o ensino formal contribui para a criação de redes neurais mais complexas, e estimula o cérebro a elaborar uma reserva funcional maior que será gasta ao longo da vida. Pessoas com maior nível de escolaridade geralmente executam atividades intelectuais mais complexas, que oferecem uma maior quantidade de estímulos cerebrais.

Quanto mais você estuda e mantém o seu cérebro ativo, maiores as chances de prevenir doenças e continuar lúcido. Os especialistas destacam: manter o cérebro constantemente ativo e estimulado pode retardar e até inibir a manifestação da doença. Aumentar o nível de escolarização pode ser eficiente para prevenir casos de demência.

Invista em conhecimento em qualquer idade: a Porto União oferece mais de 1.000 cursos de pós-graduação a distância. Clique aqui e saiba mais.

agencia